Archive for setembro \30\UTC 2008

Perda de tempo

setembro 30, 2008

Gente, que vida corrida.

6:40 – Acordo.

6:45 – Café-da-manhá.

6:55 – …

7:10 – Uma ova que tô pronta pra sair.

Chega.

Antes os finais de semana serviam pra gente fazer mais um pouco de nada, agora servem para aquilo que não deu tempo na semana.

Supermercado (não é o meu caso), cabeleireiro, ir ao banco, bar, restaurante, balada, ver a avó, arrumar o quarto, dormir depois do almoço. Hoje tudo tem cara de compromisso, mas eu nunca me esqueço do meu professor de violão que sempre dizia: quem é que não tem quinze minutos do dia pra fazer o que quer que seja?

Taí.

Bora fazer uma torrada?

Literatu…tu…tu…tu… Ih! Desligaram!

setembro 30, 2008

por Ana Carolina Addario

 

Gostava de literatura, mas estava sempre ocupada: teve que reduzir seus textos. Hoje, em poucas palavras, conta histórias inteiras. É microcontista.  

eoquetemprahoje.wordpress.com 

Tirando tooodo aquele blablablá de sociedade pós-moderna-em-ritmo-acelerado-e-produtos-e-serviços-para-consumo-instantâneo-UFA!, parece que a Internet arrumou mais um motivo pra ser chamada de rainha da cocada preta…

Quer saber? Então respira fundo!

 

Snnnnnnnnnnnnnnn!

Fffffffffffffffffffffffff…                          (2x)

 

Deu, lá vai:

 

O todo poderoso universo online deu a luz dessa vez a uma revolução literária gigante em criatividade, embora pequena em dimensão. 

 

Lembra dos contos de suspense Goosebumps, que todo mundo leu quando era criança? Ou d’A Cartomante, do Machado de Assis, que saiu dos livros da escola direto pra telinha do cinema? Pois é, colocaram seu velho formato na prensa e reduziram-no a ATÉ 150 CARACTERES. A lei é compor dentro deste pré-determinado número de letras (com espaço!) histórias que possuam começo, meio e fim.

 

Estes são os microcontos, e o prazer é todo seu!

 

 

A mania se espalhou pela web e é referência em se tratando de literatura fácil acesso, publicados em geral em blogs ou sites específicos. Aqui no Brasil, dois nomes fortes dessa vertente literária atarracada são Zezé Pina e Jarbas Novelino, e foram deles que escolhemos alguns microcontos para postar aqui.

 

Os microcontos, tal qual os contos convencionais, tratam dos mais diversos assuntos do cotidiano.

Eles podem até ser pequenos. Mas e daí? Você é grande mas não é dois!

 

Zezé e Jarbas são literatos, mas sempre deram com a cara na porta das editoras. Depois deles, nunca o wordpress teve tantos hospedeiros.

eoquetemprahoje.wordpress.com

 

ATENÇÃO PARA O QUE TEM PRA HOJE EM PROMOÇÃO E CAÇA-TALENTOS:

Para os que se interessarem pelos microcontos e quiserem ler mais, basta pedir no espaço para comentários abaixo! E quem quiser fazer também, sinta-se a vontade! Quem inventar o microconto mais divertido, ganha um postado na próxima semana, em homenagem d’eoquetemprahoje.

Let the game begin!

Embelezamento Natureba

setembro 28, 2008

Ao estilo beleza natural, sempre singelo e ecônomico!

Por Nicole Leccese

Taí, dizem que aquela musa da novela consegue ter um cabelo magnífico e ser referência no quesito brilho e movimento porque ela ganha MUITO dinheiro!

To aqui para dizer que isso é relativo. Basta, para nós mulheres comuns porém únicas- infinito paradoxo feminino – nem um, mas simplesmente meio abacate maduro, somado a meio copo de iogurte natural e a 2 colheres de mel goma de uma folha de babosa , para dar vida as madeixas ressecadas. Claro, o liquidificador precisa estar presente, bem como a paciência durante vinte minutinhos abafando a mistura sobre os cabelos. E para não deixar no ar, mas sim deixar confirmadíssimo, os especialistas atestam: Os produtos cosméticos realmente precisam das frutas para terem popularidade no universo dos cabelos.

Suas propriedades nutritivas nunca chamaram tanto a atenção da indústria cosmética, o resultado se vê nas prateleiras de perfumarias e supermercados: uma infinidade de xampus e cremes formulados com frutas.

Os cuidados devem ser estendidos a todos os tipos de cabelo, dos ressecados até os aparentemente normais, que precisam de um trato para fugirem dessa categoria. Para quem tem os cabelos normais, fica a dica de uma máscara de brilho também ecônomica. Como sugestão, a dermatologista Fabianne Lucas de Andrade, deixa a opção de frutas vermelhas e banana. Isso mesmo, coma bananas não só para evitar caimbrãs, mas também para dar luminosidade as madeixas. Para além dos morangos e bananas, a dermatologista sugere uma máscara natural: água fervente(1/2 l), babosa(1/2 colher), vinagre de maçã para quem tem cabelos escuros(1 colher) ou limão para quem tem cabelos claros(1 colher) e para dar consistência , 5 colheres de qualquer creme para cabelos. Leve ao liquidificador e depois à cabeça durante 5 curtos e decisivos minutinhos… PRONTO, madeixas curtidas!

Mas é claro, existe aquele cabelo que não é normal, nem seco. OK! Ele é oleoso mas é seu, por isso merece super cuidados. Cozinhe uma espiga de milho e faça um chá com duas xícaras de alecrim. Pegue os dois e leve ao liquidificador e bata-os com mais duas colheres de amido de milho. Feito isso, massageie seu couro cabeludo com duas colheres de óleo de semente de uva antes de lavar, aproveite para relaxar enquanto massageia sua cabeça por 5 minutos. Penteie com um pente fino, enxágue e passe a máscara nos cabelos. Pois bem, deixe-a quietinha sobre a cabeça por uma hora. Aí é só lavar e partir para o sucesso!

Agora foi atestado, é mais ecônomico portanto acessível, logo, só fica feia quem não quer ficar bonita!

 

Escola sem lição de casa

setembro 25, 2008

por Fabíola Nascimento

A palavra ESCOLA te assusta? Deixa você nostálgico? Então, conheça essa escola, ela é diferente! E vê se lê mesmo o texto, ele não é longo e chato, como aqueles que você lia no colégio!

A Escola São Paulo de Arte Contemporânea é um lugar que reúne de livros e filmes a exposições, workshops e aulas. Eu sei que disse que ela é diferente, mas nem tanto, afinal, escola é um lugar para se aprender!

E a Escola não é fraca não: depois da sua inauguração no começo de 2006, nos dois primeiros meses, contou com a participação de grandes nomes da cultura, como Paulo Mendes da Rocha (arquiteto), Iggor Cavalera e Layma Leiton (discotecagem), Heitor Dahlia (diretor do filme “O Cheiro do Ralo”) e muitos outros.

Em sua estrutura, a São Paulo oferece espaço para exposições, cursos, sessões de cinema e bate-papo, biblioteca, Filmoteca, CDteca, uma lojinha, um Café e um bom espaço para você circular e usufruir de tudo isso.

Quanto aos cursos, eles são formulados por Vera Barros, que foi coordenadora educativa do MAM (Museu de Arte Moderna) e Marcos Moraes, coordenador do curso de Artes Plásticas da FAAP. As áreas de interesse são variadas: arquitetura, artes visuais, cinema/video, cultura e humanidades, design, filosofia, fotografia, gastronomia, infantil, literatura, moda, música, pintura, relatos de experiências profissionais, teatro e TV. E os menorzinhos não ficam de fora: para crianças de 5 a 8 anos, há aulas especiais como de  fotografia, teatro, artes plásticas e histórias.

O espaço também conta com uma Biblioteca com diversos títulos nacionais e internacionais; uma Filmoteca com longas e curtas metragens, documentários, videoclipes e vídeo-arte; e uma CDteca com arsenal bem variado, de MPB à música eletrônica. Os três acervos são abertos ao público, basta escolher uma obra no catálogo e falar com um monitor para usar o material.

A São Paulo ainda conta com o Café Paulistta e a loja Pop/Escola São Paulo, onde são vendidos livros, toy art, camisetas, produtos customizado com sua marca e outros artigos, todos diferenciados. Essa é uma ótima escolha para quem quer presentear, a si mesmo ou a um conhecido, com algo diferente.

É uma ótima opção para quem está cansado de ver as vitrines da Rua Augusta e prefere se entreter num lugar calmo, bonito e completo, numa cidade frenética como São Paulo.

Endereço: Rua Augusta, 2239 (entre a Alameda Itu e Alameda Franca). O metrô mais próximo é o Consolação e o horário de funcionamento é de 2ª feira à 6ª feira das 10 às 22 horas e sábados das 10 às 19 horas.

Você também pode visitar o site: www.escolasaopaulo.org.br

 

ATENÇÃO: se encontrar QUALQUER espécie da família das aves, sobretudo as comumente servidas em jantares natalinos, AVISE-NOS!

Pilico e Bia, a casa restaurante. Ou vice-versa!

setembro 24, 2008

por Camila Oliveira

Pilico e Bia…um belo par para novela das oito!

Ou não! 

O restaurante não tem placa, afinal, não é nada mais, nada menos que uma simples casa. E quem passa pela Rua Diogo Moreira percebe apenas que o clima lá dentro é animado, sem imaginar, que abriga um dos eleitos entre os melhores restaurantes de frutos do mar de São Paulo.

Para participar da comilança (o cardápio conta apenas com peixes e frutos do mar), precisa fazer reserva – com no mínimo uma semana de antecedência. E não pense que lá tem essa tecnologia toda de blog, email, scrap por orkut ou MSN, não… com o Pilico é só por telefone, e telefone fixo! São pouquíssima mesas instaladas na sala do sobrado.

O restaurante já está funcionando há muitos anos e o sucesso foi conquistado através do famoso boca-a-boca. Pilico, em questão, chama-se José Rubens Le Suer e é o mestre-cuca. Reza a lenda, que ele aprofundou toda essa sua expertize em “pratos do mar” nos dez anos que viveu em Salvador! Bia, sua mulher, cuida da casa, literalmente!

De enxuto no Pilico e Bia, é só a estrutura, que ainda que “exótica” – que mania paulistano tem de chamar tudo que é diferente e estranho de exótico, não? – chama muita atenção. O cardápio, extenso e de dar gosto, conta com diversas variações de peixes, crustáceos e moluscos.

Se o cardápio é bom, a procura é ótima, o preço é salgado… ou não! As BMW e Audis paradas em frente ao sobrado, que vão provar a famosa Moqueca de Camarão do Pilico, não acreditam que os pratos variam entre R$ 40,00 e R$ 55,00, e ainda servem duas pessoas!

Bom, mas enquanto o pedido não vem, vale a pena se distrair olhando as centenas de fotos dos visitantes pregadas nas paredes, talvez você ache até algum conhecido.

E ficadica!

 

Pilico e Bia

Rua Diogo Moreira, 296 – Pinheiros

Tels. 3814-2283 / 3814-2967

Trendsetter

setembro 20, 2008

por Paula Spínola

 

Eu não dava nada pro estilo de Yasser. Eis que da cabeça, os lenços palestinos pularam pro pescoço e ganharam grande espaço na moda. E quando alguma peça vende que nem água o que acontece?

Os chineses copiam. E copiam tão direitinho que lá na Palestina a última fábrica de Keffiehs luta para continuar no mercado. Hoje produz 15 mil peças por ano, mas já chegou a produzir 150 mil quando os guerrilheiros da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) ganharam espaço na cena política. A bagagem histórica ficou para trás. E o chinês e mais ninguém se importa.

Digo verdades brincando.

Vegetais e PVC

setembro 17, 2008

por Ana Carolina Addario

Não sei, mas acho que as coisas mais interessantes vêm sempre dos lugares mais inesperados. Em se tratando de música além das variantes esperadas, tem bastante coisa divertida rolando out of the mercado fonográfico. Mas interessantes no sentido mais inusitado da coisa.

A última que vi apareceu pelas bandas do Youtube, a Vegetable Orchestra, e reunia uma trupe de cirurgiões alimentícios, que inimaginavelmente montou uma orquestra com legumes e vegetais. E não é que fazia som mesmo? Um primor!

Pois bem.

Pode não ser com vegetais, mas o skatista Gibran Santos, paranaense de nascimento mas paulista de identidade, resolveu em 2002 que entraria pro hall dos arquitetos do inesperado, categoria música.

Depois de algumas tentativas nada frustradas com canos PVC, elaborou e construiu sozinho o saxofone que usa atualmente para juntar grana… e aplicar no aperfeiçoamento do mesmo instrumento. Detalhe: ele é feito de resina, fibra de vidro, borracha usada pra fazer chinelos e otras cositas mas. Segredo.

Gibran quer trazer música à galera que não tem condições de pagar 1 barão pra ter um bom saxofone.

A afinação da obra de arte fica por conta da furadeira, “ou uma lichinha mesmo, quando não precisa de muito”. E pra completar, só faltava ser autodidata, coisa que ele é sim, tanto em fazer música, quanto instumentos. E o cara ainda é modesto!

Pra quem se interessa, ele traz jazz, um rockzinho básico no sax, teminhas extraídos diretamente do cinema, e muito free style do sofá de casa direto pra Avenida Paulista.

 

E ainda tem gente que diz terça-feira é dia morto. Taí: é o que tem pra hoje. E não é pouco não, viu?

 

ps: a foto foi cedida gentilmente pelo amigo Ricardo Clemente, que acompanhou o papo com o instrumentista e fotografou a sessão.

Comportamento em um banquete bem servido!

setembro 5, 2008

Com a mais variada gama de pratos quentes, frios, na mão ou na mala, o quinteto que vos escreve (nós! HA!) se dispõe a trazer dicas fresquinhas, curiosidades diretamente do cacho, e histórias verídicas que parecem mentira de tão boas, mas não são não. O intuito é deliciar você, leitor, com MUITO comportamento!

Sempre de rabeira com a legitimidade dos fatos, nós pilotas traremos pra vocês leitores narrativas inusitadas, muitas vezes ao estilo gonzo de ser, sempre fugindo do padrão noticioso boring e da linguagem jornalística bege.

Afinal, embora ninguém aqui seja mangueirense, somos todas adeptas do verde e rosa – e amarelo e roxo, e laranja e marrom… O importante é fugir sempre do sóbrio preto e branco.

 

Sejam bem vindos e aproveitem o banquete!

Só muito cuidado com um certo tender que, contrário a seus ancestrais, irmãos e primos de primeiro grau, vive voando de lá pra cá.

Ele é nosso aliado, mas costuma “bombardear” este blog com notícias e tendências do mundo velho do mesmo jeito que muita pomba pega a gente desapercebido…

 

Ficadica.